Serasa dá 10 dicas para o consumidor não prejudicar o orçamento e evitar golpes na Black Friday

A Black Friday, principal data do varejo online brasileiro, está chegando e muitos consumidores devem aproveitar as famosas ofertas especiais para fazer compras. Os descontos podem ser tentadores, mas comprar por impulso pode levar o cidadão ao superendividamento. “Quem não consegue controlar os gastos, deve evitar fazer novas dívidas sem necessidade. A orientação é planejar e aproveitar esse tipo de data para adquirir apenas o que é essencial e vantajoso”, alerta o Superintendente do SerasaConsumidor, Júlio Leandro.

Antes de se deixar seduzir pelas ofertas, o cidadão deve colocar na ponta do lápis todas as despesas fixas e as contas já assumidas ou previstas. Só assim saberá se pode ou não fazer novas dívidas na Black Friday. Segundo levantamento da Serasa, 40% da população brasileira adulta está inadimplente, além disso, os juros em alta tornam o crédito mais caro e isso acaba diminuindo o poder de compra do consumidor. É importante considerar também que o fim do ano está próximo e gastar sem controle agora pode significar uma renda menor no Natal.

Também é importante que o consumidor esteja seguro na hora de fazer uma compra para não se tornar vítima de fraudes, como pagar por um produto que nunca será entregue. Para se proteger e não ter dor de cabeça com golpes, entre os dias 28 e 30 de novembro, o consumidor de todo o país poderá fazer uma consulta gratuita para saber a situação financeira de qualquer empresa do Brasil antes de fechar um negócio. Com a pesquisa do CNPJ no VocêConsulta Empresas (www.serasaconsumidor.com.br), é possível saber sobre a existência legal da companhia e se ela não está à beira da falência. Também é possível visualizar o endereço, telefone, ações judiciais, ocorrências de protestos e cheques sem fundos.

Para ajudar o consumidor a aproveitar a Black Friday sem prejudicar o bolso e ser vítima de fraudes, a Serasa preparou dez dicas. Veja abaixo:

1)     Antes de ir às compras nesta Black Friday, veja o quanto pode gastar. Faça um levantamento das dívidas fixas e as contas já assumidas ou previstas que possui;

2)     Planeje as compras. Reflita se está realmente precisando daquele produto. Discuta a necessidade da compra com a família.

3)     Faça uma lista dos itens que pretende comprar. Essa é uma das regras básicas para evitar gastar por impulso. Com o papel nas mãos, o consumidor só vai atrás dos produtos que realmente estão na lista, sem cair em tentação;

4)     Cuidado com descontos milagrosos. Pesquise preços, para saber se está mesmo fazendo um bom negócio ao comprar o produto no período da Black Friday;

5)      Evite cair em golpes. Se for comprar um produto para receber posteriormente, verifique se a loja física ou virtual escolhida possui uma situação financeira estável, para não ser surpreendido com o recebimento de uma mercadoria inferior no lugar da que foi comprada ou, pior, ficar sem o produto para sempre. Entre os dias 28 e 30 de novembro, o consumidor de todo o país poderá fazer uma consulta gratuita para saber a situação financeira de qualquer empresa do Brasil antes de fechar um negócio Com a pesquisa (www.serasaconsumidor.com.br), é possível saber sobre a existência legal da empresa e se ela não está à beira da falência. O serviço é gratuito apenas durante os três dias da Black Friday.

6)     Pesquise o mesmo produto em lugares diferentes, pois os preços podem variar muito. Algumas lojas podem ter estoques antigos e oferecer um valor mais baixo;

7)     Fique atento aos preços dos produtos importados. Com a alta do dólar, eles podem ter ficado bem mais caros;

8)     Cuidado com longos parcelamentos para não comprometer ainda mais a renda. O fim do ano está próximo e, neste período, os gastos aumentam ainda mais;

9)     Lembre-se da proximidade com o Natal, além dos gastos de início de ano, como IPVA, IPTU, material e matrícula escolar, despesas com viagens etc.;

10)   Cuidado ao usar o cartão de crédito. Ele dá a falsa sensação de que não está gastando. Verifique na fatura o valor total das compras antigas antes de fazer uma nova dívida com ele. Além disso, o pagamento integral da fatura é a melhor maneira de usar esse meio de consumo. Evite utilizar o pagamento rotativo.

Fonte: Serasa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *