Atividade do comércio cresce 0,9% em setembro

Após ter recuado 0,4% em agosto, a atividade do comércio reagiu em setembro. De acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, houve avanço de 0,9% no movimento dos consumidores nas lojas de todo o país em setembro/14 (comparativamente a agosto/14), já descontados os fatores sazonais. Na comparação com setembro de 2013, a alta foi de 5,2%. Com estes resultados, o movimento dos consumidores no comércio acumulou, no período de janeiro a setembro de 2014, alta de 4,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo os economistas da Serasa Experian, medidas de estímulo ao crédito anunciadas pelo governo no final de agosto e o período sazonalmente mais benigno em termos de inflação estão entre os fatores que impulsionaram o movimento dos consumidores nas lojas em setembro deste ano.

A alta da atividade varejista em setembro/14 foi concentrada em dois segmentos: crescimento de 0,9% no ramo de tecidos, vestuário, calçados e acessórios; e expansão de 0,8% nas lojas de móveis, eletroeletrônicos e equipamentos de informática. Já os demais setores acusaram queda em suas movimentações: recuo de 0,7% em supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas; queda de 2,1% em combustíveis e lubrificantes; recuo de 1,3% em veículos, motos e peças; e queda de 1,0% nas lojas de material de construção. Todas estas variações já computam os devidos ajustes sazonais.

No período acumulado de janeiro a setembro de 2014, a atividade varejista cresceu 4,1% liderada pelo setor de supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas (expansão de 4,3%) e de combustíveis e lubrificantes (alta de 2,2%). O segmento de móveis, eletroeletrônicos e equipamentos de informática acumulou alta de 1,2% e o de veículos, motos e peças acumulou crescimento de 0,8% nesse mesmo período. Já o setor de tecidos, vestuário, calçados e acessórios subiu 0,7% de janeiro a setembro de 2014. Por outro lado, as lojas de material de construção viram o movimento dos consumidores cair 3,1% nestes primeiros nove meses do ano.

Fonte: Serasa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *