Empregos temporários crescem no final do ano

Faltam dois meses para o final do ano e o comércio do país já se aquece para receber a demanda. A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) encomendou, em parceria com o Serviço de Proteção ao Crédito, uma pesquisa para analisar os profissionais temporários que aproveitam a época para ganhar um dinheiro extra. Os números são grandiosos: segundo a pesquisa, 233.149 temporários devem ser admitidos e 43% dos contratantes pretendem não assinar carteira. O estudo ouviu 731 comerciantes, de todas as capitais brasileiras. A maior parte deles, totalizando 86%, pretende manter o contrato por, no máximo, 3 meses.

Apesar de sazonais, os empregos ampliam o efeito das vendas que, por si só, já aquecem a economia do país nessa época. A remuneração dos temporários alcança, em média, R$ 980. Juntando todas as vagas, os salários totalizam R$ 121,5 milhões. Segundo o economista Fábio Bentes, da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, os recursos extra ajudam a frear a queda de ritmo natural em janeiro. “Em 2013, especificamente, a contratação temporária cumprirá um papel fundamental para a geração de empregos. Com as vendas no comércio crescendo menos ao longo do ano, a abertura de vagas no setor, um dos mais importantes na geração de emprego, cresceu menos”, diz. Segundo a CNC, deverão ser abertos 124 mil postos de trabalho voltados para as vendas de fim de ano.

O presidente do Clube de Diretores Lojistas, Aldo Gonçalves, diz que, dessas vagas, 25 mil são do Rio de Janeiro, representando um aumento de 2% em relação ao mesmo período do ano passado. “Muitos vêm aproveitando o final do ano e continuam por todo o verão, quando as vendas continuam bem altas e a maioria dos funcionários fixos está de férias. Além disso, 20% deles acabam sendo contratados. Quando o desempenho é bom, as chances são grandes”, explica. Aldo conta ainda que grande parte dos temporários são jovens entre 18 e 25 que aproveitam a oportunidade para ter o primeiro emprego.

A estudante de design de moda Carolina Lima tem 20 anos, já trabalhou em vagas temporárias e não hesitaria em trabalhar novamente. Para ela, o dinheiro vale a pena por conta das comissões, já que as vendas aumentam muito no período. “O trabalho é super cansativo. Trabalhei por 45 dias em uma loja de roupas no shopping e a rotina é pesada: 8h diárias em pé, sem poder sentar em nenhum momento. Ainda assim, trabalharia de novo, porque dá tirar um bom dinheiro no final do ano”, explica. Já Mikhaila Copello, estudante de arquitetura de 21 anos, nunca trabalhou em um emprego temporário, mas está procurando uma oportunidade para a primeira experiência. “As férias são ociosas demais. Quando trabalho, tenho um objetivo e acabo tendo uma motivação maior. Estou louca para achar algo. Aliás, se souber de alguma vaga, pode me avisar, tá?”, brinca.

Fonte: Jornal do Brasil/ Amanda Rocha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *