Ponto eletrônico passa a ser obrigatório

O setor industrial está entre os que começaram no último dia 02 as novas regras do ponto eletrônico. As mudanças deveriam ter sido adotadas no fim do ano passado, mas foram adiadas em cinco ocasiões em decorrência das dificuldades técnicas de algumas áreas. As regras também passam a valer para o comércio, o setor de serviços, de transportes, construção, comunicações, energia, saúde, de educação e financeiro. Em 1º de junho, a obrigatoriedade entra em vigor para as empresas que exploram atividade agroeconômica. A partir de 3 de setembro, valerá para as microempresas e empresas de pequeno porte.

De acordo com as novas regras, será impresso um comprovante para o trabalhador para que o relógio de ponto seja inviolável. Segundo o Ministério da Trabalho, a regra está sendo adotada para evitar fraudes na marcação das horas trabalhadas.
A adoção do ponto eletrônico gerou divergências entre os setores sindicais e as confederações patronais. Para os sindicatos, exigência vai evitar que os trabalhadores façam horas extras e não recebam por elas. Já as entidades sindicais patronais argumentam que a adoção do ponto eletrônico pode gerar altos custos, principalmente para as pequenas empresas. Segundo o Ministério da Trabalho, a regra está sendo adotada para evitar fraudes na marcação das horas trabalhadas.

A mudança

A partir de ontem empresas de diversos setores passam a adotar o ponto eletrônico;

As regras valem para o setor industrial, comércio, serviços, transportes, construção, comunicações, energia, saúde, de educação e financeiro;

A adoção do ponto deveria ter começado no final do ano passado;

Foram cinco adiamentos até o início, nesta segunda-feira;

A partir de 1º de junho as empresas do setor de agroeconomia passam a utilizar o ponto eletrônico;

Em 3 de setembro, é a vez das micro e pequenas empresas;

Pelas novas regras, o trabalhador receberá um comprovante emitido pelo relógio de ponto;

O objetivo é evitar que o relógio seja violado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *