SICOOB apresenta crescimento

Além disso também apresentou resultados no cooperativismo de crédito

O empresariado local, em especial os associados do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (SICOOB), tiveram a oportunidade de conhecer alguns dos resultados alcançados em pouco mais de um ano de instalação da agência em Irati e tiveram acesso aos fatores que determinaram a subida do sistema ao posto de sétima instituição financeira do país. Hoje, o sistema conta com 1,9 mil postos de atendimento no Brasil, sendo 82 no Paraná e 12 destes somente na região Sul do estado.
O diretor vice-presidente, Allan Forti Rubira, em sua explanação, destacou que a instituição financeira é hoje a que pratica as menores taxas de juros ao capital no Paraná (11,62%), que a leva a registrar um baixo índice de inadimplência (0,58%), se considerada a quantidade de atrasos no pagamento.

Virgílio Moreira, que preside o sistema no estado, enfatizou a participação do SICOOB no Show Rural

Rubira compara as cooperativas de crédito às de produção: enquanto a cooperativa de produtores rurais é ela quem cede a eles os insumos e depois compra os produtos, além de auxiliá-los na sua atividade produtiva, da mesma forma a cooperativa de crédito age, com a diferença de que o dinheiro é o produto em questão. “Então, esse dinheiro do cooperado que tem, é emprestado o que ele precisa. O próprio sentimento do cooperativismo, que é a ajuda mútua, as taxas são menores, os encargos que se vai ter são menores. Então essa é a grande diferença: o custo para o cooperado, para o empresário, para o associado elas são menores do que encontra no mercado”, desenvolve.
Além disso, o vice-presidente estabeleceu um paralelo entre essa prática no Brasil e na Europa e Canadá. Enquanto por aqui a participação do cooperativismo de crédito na economia representa apenas 2,5% na economia, na Europa e Canadá esse índice chega a 40%. “Acredito que essa participação de apenas 2,5% do cooperativismo de crédito na movimentação financeira no país se origina do fato de o cooperativismo de crédito no Brasil ainda não ser conhecido”, observa.
Ele ressalta que, na cultura econômica nacional, por outro lado, temos as cooperativas de produção, que já são bem conhecidas, mas estão mais ligadas ao meio rural. “Já a cooperativa de crédito está mais centralizada em sua maioria nos centros urbanos. O sentimento é que ela está melhorando e começando a crescer agora. É simplesmente uma questão de tempo”, prospecta.
Rubira indica que as cooperativas de crédito prestam serviços ao pequeno e médio empresário, uma vez que “o grande empresário já possui todos os privilégios do mercado”, pondera. Em relação às taxas de juros, ele atribui como mecanismo que permite a oferta de índices tão baixos o fato de os custos serem menores. “Quando você custa menos, você pode cobrar menos”, resume.

O vice-presidente do SICOOB no Paraná, Allan Forti Rubira, demonstrou os fatores que levaram aos resultados atingidos

A gerente do SICOOB em Irati, Veridiana Ribas Navarro, comenta que o encontro, além de apresentar resultados aos cooperados, serve como convite para que novos empresários venham a agregar valor à instituição financeira, ao se tornar cooperados também. “Ano passado fizemos um trabalho diferente, quando nós levamos nossos cooperados numa van até Curitiba. Nesse ano optamos por fazer uma pré-assembleia aqui, tendo em vista os inconvenientes do deslocamento até a capital. Esse encontro serve para medirmos a satisfação dos nossos cooperados e poder mostrar que o dinheiro deles está sendo bem aplicado”, ressalta.
Ela explica que o SICOOB trabalha da mesma forma que um banco, dispondo dos mesmos serviços, como a concessão de empréstimos, consórcio, previdência privada, além dos empréstimos aos cooperados. “A diferença de um banco comum para uma cooperativa, é que nesta existe a distribuição da sobra (lucros). O que você aplica, o que você investe, quem fica com os resultados nos bancos são os próprios banqueiros. Na cooperativa, não. Quando tem o fechamento do ano, que tem a distribuição das nossas sobras, são distribuídos proporcionalmente ao capital social, à movimentação da conta corrente, produtos adquiridos. Então você tem um retorno depois”, esclarece.
O diretor presidente do SICOOB no Paraná, Virgílio Moreira, entre outros fatores, destacou a participação, pela primeira vez, do sistema dentro do Show Rural, que aconteceu em Cascavel, na semana passada, e caracteriza o maior evento agropecuário do cenário nacional. Até então, segundo ele, apenas Bradesco e Banco do Brasil participavam do evento.
Ele também ressaltou que hoje o SICOOB/BANCOOB passou a ser a sétima instituição financeira do país, ao administrar 28 bilhões de títulos e ter conseguido, no ano passado, distribuir R$ 1 milhão em lucros entre seus cooperados.
Virgílio solicitou apoio dos empresários associados para fazer com que a agência de Irati cresça cada vez mais e agregue importância dentro do território paranaense. Ressaltou a importância do cooperativismo e destacou que todo o capital aplicado permanece no mesmo local em que foi investido.


Fonte: Jornal Hoje Centrosul – edição 606, dia 15/02/2012

Texto e fotos: Edilson Kernicki, da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *