Procura-se Voluntarios

Professores de música, línguas, alfabetização de adultos, pintura, educação física e outras técnicas são bem- vindos. Projeto social será instalado no Alto da Lagoa e precisa de voluntários para iniciar atividades

O projeto social ‘Casa do Saber’ deve ser implementado em Irati dentro de no máximo um mês.  O bairro escolhido para sediar o projeto é o Alto da Lagoa. A iniciativa é do juiz do trabalho, Carlos Henrique Mendonça. Serão oferecidos diversos cursos gratuitamente para a população. O objetivo é que o projeto esteja funcionando dentro de um mês.

“Tudo o que vier para nos ajudar é bom, é o que nós precisamos. Tirar a criançada da rua é o primeiro passo para melhorar este bairro. O pessoal está muito contente e estamos aguardando o quanto antes o início deste projeto”, opina o comerciante José Laerte Moraes, que há 10 anos  tem um mercado no bairro e está apoiando a iniciativa. “Nosso bairro precisa de muita coisa. Nosso principal problema é a falta de infraestrutura. A opção que a criançada tem para brincar é a quadra, mas ela foi descoberta por um vendaval”, conta o comerciante.

Um imóvel será locado no bairro para sediar o projeto, mas a principal demanda atualmente é por pessoas que queiram envolvimento. “A grande necessidade é de formar um quadro de voluntários. Tudo o que precisamos é que as pessoas estejam dispostas a oferecer uma hora do seu tempo por semana para ensinar quem precisa. Necessitamos de pessoas para aulas de informática básica, inglês, espanhol, alfabetização de adultos, ginástica, educação física e outros esportes, dança, teatro, instrumentos musicais, pintura e artesanato, culinária e qualquer outra atividade que seja interessante”, destaca Mendonça.

O local foi escolhido por ser um dos bairros mais carentes da cidade. “Pelo que soube, ali há muito problema com drogas. Você anda por aquele lugar e sente que há uma depressão coletiva. Todo mundo está adormecido, o dia passa sem nada acontecer. A nossa ideia é mudar isso”, justifica.

De acordo com Mendonça, não haverá limite de idade para participar das atividades. “As aulas são para quem quiser, criança, jovem, adultos ou idosos”, observa. O projeto não terá vinculação a órgãos públicos ou políticos. “Não é uma coisa que depende de muito dinheiro. Nós dependemos dos professores voluntários. Vamos precisar de uma quantia mensal de cerca de mil reais para manter a casa e uma secretária. Estamos tentando uma parceria com a Aciai (Associação Comercial e Industrial de Irati) para conseguir a colaboração dos membros com um valor que poderá ser cobrado com a mensalidade que eles pagam para a Aciai”, conta o juiz.

A ONG Aspana (Ação Social Patrulha da Natureza), que já atua no bairro, também deve ser unir ao projeto. “Ela já existe legalmente e isso pode facilitar as doações, pois as empresas podem doar e abater os valores no imposto de renda”, explica o idealizador. A Aspana já tem seis computadores que foram doados por uma empresa e o início das aulas de informática básica depende da definição do imóvel que será alugado e de um professor que se disponibilize a dar o curso.

A iniciativa segue os moldes de um projeto que recebeu o mesmo nome e já foi aplicado em Marechal Cândido Rondon, cidade na qual o juiz já trabalhou. “Quase 550 pessoas por semana frequentavam a casa”, relata. Em Rondon, o projeto tinha diversas aulas, a exemplo de ginástica para gestantes e senhoras, além de artesanato e línguas.

Voluntários podem entrar em contato pelo telefone (42) 3422-2287 e falar diretamente com o juiz, Carlos Henrique Mendonça. Também serão aceitas doações de materiais para as aulas, como instrumentos musicais.

Bairro está numa das regiões mais carentes de Irati. Projeto oferecerá aulas para públicos de todas as idades

Juiz está procurando professores voluntários para dar início às atividades em até um mês

ACIAI APOIA  CASA DO SABER

“Para que a Casa do Saber possa ser implantada o mais rápido possível, estamos pedindo aos senhores, a bondade de doarem apenas, ou ao menos, R$ 10,00 (dez reais) por mês, pois precisamos ter um dinheiro mínimo de R$ 1.600,00 por mês, para pagarmos o aluguel de uma casa, luz, água, telefone e principalmente uma funcionária, que é essencia.”, solicitou o Juiz em correspondência encaminhada pela Aciai. O associado que desejar contribuir pode preencher o termo abaixo e encaminhar para a associação. Outras pessoas também podem contribuir, ligue para a Aciai e informe-se como fazer sua doação. 42 3423-1422.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *